29/09/2014

Os Caras de Pau


Os Caras de Pau

O leitor certamente já ouviu alguém falar ou até mesmo usou o termo “cara de pau”, mas você sabe que é um “cara de pau” ou qual seu significado? O Dicionário inFormal define o verbete como sendo “A capacidade de contar mentiras, justificar práticas erradas, mantendo sempre no rosto uma expressão tranquila, normal, neutra” e associa ao termo os seguintes sinônimos: “atrevido, sem vergonha, safado, mentiroso, descarado, sem-vergonha, sem escrúpulos, cara lisa. Bem, não ficou nenhuma dúvida do que seja um autêntico cara de pau, você agora sabe o que significa, vai reconhecer alguns no seu dia a dia e vai saber que já há algum tempo convive com alguns exemplares desta subespécie, principalmente se você for cidadão ouroverdense.
Talvez você não se espante tanto, pois caras de pau existem em qualquer lugar. Mas os caras de pau aos quais me refiro não estão em qualquer lugar e nem desejam pouca coisa, eles estão na política e desejam chegar ao poder em nossa cidade. Vou direto ao ponto para que o leitor entenda de uma vez. Existe um grupo político em nossa cidade que acha que detém a exclusividade no relacionamento do município com o governador, durante a última campanha eleitoral tentaram vender a ideia de que se eles não fossem eleitos o Governo Estadual viraria as costas para nosso município, pois na visão deles apenas eles tinham e poderiam ter relações com o governador Marconi Perillo. Pois bem, eles não foram eleitos e o grupo do prefeito Jaime manteve e mantém excelentes relações com o Governo Estadual, pelo simples fato de que o governador não é partidarista mas sim, municipalista e republicano, e o resultado dessas relações foram as realizações de diversos trabalhos do Governo Estadual no município de Ouro Verde, contrariando aqueles que se achavam “exclusivos” do governador.
Mas a cara de pau se mostrou absurda na última e talvez maior realização do Governo Estadual em parceria com o município de Ouro Verde, a pavimentação das ruas do Comércio e Carlos de Pina. Um pouco antes da última visita do governador Marconi Perillo em nossa cidade, foi feita uma reunião entre o mesmo e o prefeito Jaime Ricardo onde foi solicitada a pavimentação das ruas citadas e o governador então autorizou o andamento dos processos para que a obra fosse anunciada na ocasião de sua visita. Pois bem, a princípio o grupo político adversário do prefeito Jaime zombou da “promessa” do governador e espalharam boatos de que a pavimentação jamais aconteceria, ouvi algumas pessoas que disseram que eles chegaram a dizer que se a pavimentação acontecesse eles “lamberiam o asfalto”, não sei se isso é verdade, pois não ouvi da boca deles. Há algumas semanas a pavimentação saiu de fato e as obras se iniciaram, uma grande conquista para nossa cidade e nossa população e o resultado do esforço do prefeito Jaime Ricardo junto ao governador Marconi Perillo, mas é bom ressaltar que nem todo mundo ficou contente com esse benefício, o grupo político que se achava detentor exclusivo da relação do município com o estado e que não acreditava que o benefício chegaria de fato, se sentiu incomodado. Mas incomodado porquê? Boa pergunta, acho que incomodado que a cidade progrida, que o governador auxilie o município, pois está ficando cada vez mais claro que eles preferem o poder ao desenvolvimento da cidade, para eles é melhor que o município caia aos pedaços com eles governando, o objetivo deles não é progresso mas sim poder. É agora que aparece a cara de pau, insatisfeito pelo fato da pavimentação estar acontecendo eles então quiseram tirar proveito político da obra que a princípio eles sequer acreditavam na sua realização, fizeram então uso de um método que eles têm usado rotineiramente nas suas ações políticas, espalhar papéis pela cidade. Confeccionaram um ofício (que na minha opinião não é verdadeiro e jamais foi entregue em lugar algum, mas ressalto, é a minha opinião) com as assinaturas dos vereadores e do presidente municipal do partido que sustenta o grupo juntamente com a assinatura de um deputado que eles apoiam, juntaram com a ata da sessão licitatória que licitou a obra de pavimentação das duas ruas em Ouro Verde (até hoje eu me pergunto qual era a finalidade daquela cópia de ata de sessão junto ao pretenso ofício) e espalharam pela cidade dizendo que foram eles os responsáveis por solicitar e conseguir aquela obra. Ainda não satisfeitos com a (não) repercussão do “método do papelzinho” foram às redes sociais tentar dar mais um impulso na mentira lavada que eles inventaram para tentar enganar os desinformados.
Quanta cara de pau, eu me pergunto: Será que eles não ficam com vergonha de fazer uma coisa dessas? Mas antes de me perguntar isso eu me pergunto se primeiramente eles têm vergonha. Qual a vantagem de se apropriar do trabalho alheio? Será que eles acham que nessa cidade vivem 4 mil idiotas que vão acreditar em qualquer papelzinho tosco que aparece nas ruas numa manhã qualquer? Na verdade me vem tantas perguntas que eu nem vou descrevê-las para não tomar mais tempo do que o necessário.
Eles têm cara de pau, mas como o leitor viu no início do texto, cara de pau não significa verdade, muito ao contrário, é sinônimo de mentira e como sabemos que mentira tem perna curta eu mesmo resolvi correr atrás dessa vigarice para vê-la correr com suas perninhas curtas até cair ao chão vermelha de cansaço, mas não de vergonha, pois isso os caras de pau nunca têm. Eles sabem fazer esses papeizinhos infames e espalha-los pelas ruas da cidade às altas horas da madrugada (não tem respeito nem pelo trabalho dos garis), mas eles não entendem de administração pública, não entendem como se dá um processo administrativo dentro de uma repartição, sabedor que aquele ofício espalhado pela cidade não era o que desencadeou o processo administrativo que culminou na pavimentação das duas ruas em nossa cidade, quis eu ir à fonte trazer documentos verdadeiros e não esses “apócrifos”. O que fiz então, fui à AGETOP e simplesmente solicitei uma cópia do processo administrativo que autorizou a obra de pavimentação das ruas, sabedor que todo processo administrativo é originado por uma solicitação, eu queria uma cópia do ofício de solicitação que desencadeou o processo. Agora um doce para quem adivinhar qual era o ofício de solicitação! Ganhou quem disse que não era o “ofício apócrifo” espalhado pela cidade, não só solicitei uma cópia do ofício como pedi ao departamento responsável que autenticasse a cópia, como podem ver na imagem abaixo, e como ficou claro, a solicitação foi feita pelo prefeito Jaime Ricardo e não por vereadores ou presidente de partido e nem mesmo por esse deputado que nunca trouxe um benefício para cá, pelo menos não para a população.






Se alguém tiver dúvida da veracidade desse ofício que postei é só me procurar que nós vamos até a AGETOP e veremos todo o processo para que não sobrem dúvidas, pois não estamos aqui para mentir, não espalhamos papeizinhos “apócrifos” de madrugada, não fazemos uso de perfis falsos em redes sociais, o que temos a dizer dizemos com o rosto descoberto, sabe porquê? Por que respeitamos a população ouroverdense! Quem tenta se apossar do resultado do trabalho de outros e divulga informação inverídica não está respeitando aqueles que lerão. Quem acreditou no tal papelzinho? Somente os eleitores deles, isso mostra que eles não respeitam nem seus próprios eleitores, que não são dignos de saber a verdade, que qualquer papel tosco, mal feito e mentiroso é suficiente para informar aqueles que neles acreditaram e depositaram seu voto de confiança.
É claro que como grupo político de oposição não se espera que eles exaltem o trabalho do prefeito Jaime Ricardo, isso é compreensível e ninguém, muito menos eu, os recriminará por serem oposição, o feio, o vergonhoso e o cúmulo da cara de pau é se apossarem do trabalho de outros e sair por aí divulgando isso como se todos aqui nessa cidade fossem idiotas e nunca fossem saber a verdade. Se não foram eles que conseguiram, poderiam muito bem se calarem e focarem suas atividades de oposição em outras áreas, não era necessário que eles se prestassem a tão baixa atitude, deixando claro o seu despreparo político. Mas fazer o quê, enquanto existir óleo de peroba as caras de pau estarão sempre bem reluzentes.

0 comentários:

Postar um comentário